E se ficar com medo, vai com medo mesmo? Aprendendo a utilizar o medo a nosso favor, com Tatá Pelegrino.

OnRoad 26/09/2019


Por Otávio Pelegrino, piloto profissional de FreeStyle Motocross.

"Oi pessoal! Aqui é o Otávio Pelegrino, piloto profissional de FreeStyle Motocross. O medo faz parte de todo esporte, e é decisivo principalmente em modalidades de alto risco como a minha. 

Todo esporte tem desafios e são esses desafios que na maioria das vezes atraem seus praticantes, e junto a eles quase sempre encontramos o medo, às vezes um pouco maior, às vezes um pouco menor, em situações de mais perigo ou até mesmo em situações que não oferecem perigo eminente. Existe no esporte o medo de errar, de fracassar, entre outros sentimentos desse “mix” que sentimos em competições e até em treinos.

 

No FreeStyle Motocross, modalidade que pratico, o medo faz parte de todo o processo, e em meio a esse esporte de tanto risco, já que fazemos nossas manobras em saltos de 10 metros de altura com a moto, ele é extremamente importante. É preciso saber trabalhar com esse sentimento e traze-lo para o seu lado, usá-lo de uma forma benéfica.

 Sempre tem aquele piloto que tem medo do salto, medo de tentar uma manobra nova, medo de saltar distâncias maiores, e nesses casos, é muito difícil tirar isso dele, é algo pessoal, já imposto pelo próprio subconsciente ou por situações anteriores, e que acaba atrapalhando demais em sua carreira. 




Em contra partida também encontramos aqueles mais corajosos, com um espírito mais aventureiro que arriscam sem pensar duas vezes; encaram esses medos para só depois tomar consciência do que aconteceu, e é ai que normalmente acabam acontecendo os acidentes.

 Quando falo que é importante o medo para todos os esportes e que é preciso trabalha-lo, me refiro ao medo principalmente como uma linha divisória, onde separamos o profissionalismo do alto risco. Podemos chamar até de um “risco calculado”, saber que quando sentimos esse frio na barriga, a pele suar. Esse nervosismo é importante de ser observado além dos reais riscos, e se temos a capacidade de superá-los naquele momento ou ainda não. 




Muitas vezes o medo é só um pensamento sobre algo ruim que possa acontecer, um erro, um acidente, ele nos atenta e é extremamente importante na tomada de decisão. Costumo pensar que o perigo é real, mas o medo é uma escolha!

Obrigado pelo espaço e até a próxima."

Matéria publicada no Jornal Lance

Fotos: Luis Bueno/Divulgação do piloto